Tudo Sobre o Método DeRose em Curitiba
Imagens aleatórias... atualize para ver mais!

Receita Biológica: Risoto de Abacaxi e Ervas Provençais

Como já indiquei anteriormente o Yôga engloba muito mais do que apenas a prática.

Abordarei aqui um aspecto da Cultura do Yôga Pré-Clássico digamos, muito prazeroso.

Falarei do sistema alimentar que faz parte do SwáSthya Yôga:

“Para a prática do Yôga, o melhor sistema alimentar é o lacto-vegetarianismo. É o que vem sendo utilizado tradicionalmente na Índia há milênios.” (DeRose, Tratado de Yôga, Nobel, 765)

Já de forma prática, indico uma receita:

Risoto de abacaxi e ervas

  • 1 (sopa) de ervas da Provença desidratadas (ou salsinha desidratada)
  • 2 (sopa) de azeite de oliva
  • ½ (chá) de arroz arbóreo
  • 1 cebola média picada em pedaços pequenos
  • 1 abacaxi grande
  • sal a gosto

Descascar o abacaxi, separar 4 fatias de 1,5 cm de espessura cada uma e reservar.

Picar o restante em pedaços pequenos eliminando o talo central. Reservar.

Levar ao fogo uma panela com 1 xícara (chá) de água até ferver. Manter aquecida.

Em outra panela, refogar a cebola na metade do azeite de oliva.

Acrescentar o arroz e o sal e refogar, sem parar de mexer, por 4 minutos, ou até os grãos ficarem brilhantes.

Misturar o abacaxi picado e as ervas.

Adicionar, aos poucos (1 concha de cada vez), a água fervente e cozinhar, sem parar de mexer, por 25 minutos, ou até o arroz ficar al dente.

Raspar o fundo e as laterais da panela, acertar o sal e retirar do fogo.

Tampar a panela e servir depois de 3 minutos.

Enquanto isso, aquecer o azeite de oliva restante numa frigideira grande.

Colocar as fatias de abacaxi reservadas e grelhar até dourar dos dois lados.

Retirar do fogo, distribuir as fatias de abacaxi nos pratos e colocar por cima o risoto.

Decorar com cebolinha francesa ou nirá (cebolinha japonesa) e polvilhar com as ervas da provença.

Observe:

Esta é uma receita que não leva nem um tipo de carne, não deixa por isso de ser saborosa e nutritiva.

É uma receita compatível com a prática do Yôga e de forma alguma pode ser enquadrada como naturéba.

Bem pelo contrário da idéia naturéba que ás vezes é associada ao vegetarianismo, este é um prato inclusive refinado.

De forma até mesmo engraçada, cito mais uma vez DeRose.

Isso para mostrar o absurdo, que para nós que usamos este tipo de alimentação, são as associações feitas não raramente com o vegetarianismo e que na realidade não passam de desinformação.

Vamos parar com isso, comida ruim não é vegetarianismo: é ignorância. Vamos parar com a mania de fazer comida ruim e marrom só para dizer que é saudável. Vou repetir aqui, pois parece que ninguém escuta: comida vegetariana não tem nada a ver com tofu, algas, shoyu, missô. Nem mesmo com açucar mascavo ou cereal integral. É claro que o cereal integral é melhor que o refinado. Mas isso não tem nada a ver com comer carne ou não. As pessoas tendem a misturar as coisas. É uma pena. (DeRose, Tratado de Yôga, Nobel, 766)

Leia também:


Fatal error: Call to undefined function related_posts() in /home/juliaro/public_html/wp-content/themes/neoclassical/single.php on line 21